Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

Preferências cookies

Diplomacia econômica

RELAÇÕES ECONÓMICAS E COMERCIAIS BILATERAIS

Situado no extremo ocidental da Península Ibérica, Portugal encontra-se estrategicamente posicionado entre a Europa, a África e a América, com as quais mantém relações comerciais e políticas profundas e dinâmicas.

Desde a sua entrada na CEE, Portugal tem sido um dos mais firmes apoiantes do projeto europeu. Os seus fluxos comerciais foram também progressivamente orientados para o mercado único, que representa atualmente mais de 75% das suas exportações e importações. Simultaneamente, os fortes laços históricos de Portugal com o exterior conduziram também a uma crescente internacionalização fora da UE, tanto nas relações com outros países lusófonos como com economias avançadas não europeias, nomeadamente os Estados Unidos.

A nível bilateral, o ISTAT registou em 2022 um crescimento sem precedentes do intercâmbio comercial, que atingiu o valor recorde de 9 mil milhões de euros, com aumentos significativos tanto nas exportações (+29,6%), que passaram de 4,3 mil milhões em 2021 para 5,7 mil milhões em 2022, como nas importações (+26,9%), que passaram de 2,5 mil milhões em 2021 para 3,3 mil milhões. O saldo é, portanto, de 2,41 mil milhões a favor do nosso País: esta é a 13ª maior balança comercial das exportações italianas no mundo, bem como a quarta maior a nível europeu, depois da França, Polónia e Croácia. Em 2022, a Itália qualifica-se como o sexto maior fornecedor e o sexto maior cliente de Portugal. Este último, por sua vez, representa o 27º mercado de destino das nossas exportações e o 37º fornecedor de bens e serviços a Itália a partir do estrangeiro.

Os dados provisórios processados pelo ICE para os primeiros quatro meses do ano em curso indicam um intercâmbio bilateral total de 3,1 mil milhões de euros, dos quais 1,9 mil milhões em exportações italianas para Portugal (+3,7% em relação ao mesmo período de 2022) e 1,2 mil milhões em importações (+11,2%), com um saldo, portanto, de 685 milhões a favor da Itália.